sábado, 21 de abril de 2018

Quem planta realmente colhe? O que as pessoas colhem?




O investimento 

Não obstante os mais nobres sentimentos humanos, sempre haverá aqueles sentimentos profundos,  cravados na mais tênue das almas; no entanto, há que se apartar da serena atitude dos relacionamentos humanos, tudo o que de mais ruim existe; mesmo quando imperceptível no todo haverá em cada ser o resultado de anos de sentimentos.

O tempo cobra os atos. Cedo ou tarde há de chegar  na conta pessoal do que se vive o preço a se pagar por  todos os sentimentos que se trocam durante uma convivência. Vende-se! Vende-se! A felicidade a qualquer custo, emoções a preço de custo. Compra-se tristeza a prestação, troca-se sentimentos humanos por outros de menor valor.

É um leilão diário de emoções e sentimentos tudo aquilo que as pessoas chamam  de convivência humana. Todos os dias: o amor,  o ódio, e todos os subprodutos se movimentam e tentam dominar o mercado. É algo estarrecedor. Como numa bolsa de valores a cotação de sentimentos sobe e desce a todo  instante.

Na vida, a dependência constante dos eventos diários para despertar as sensações  irá facilitar o mérito do ávido sentimento diário de ganhar ou perder. Quem dá mais neste leilão de convivência humana nem sempre leva o sentimento desejado. É bem complexo agradar e ser agradado.

Há um conjunto de fatores que impedem o progresso  dos investidores . Valores sociais, morais e humanitários se perdem como a  nevoa da manhã que deixa o orvalho nas folhas. Para muitos o dia termina no orvalho dos olhos, onde respinga a lágrima, o investimento do dia.

É frustrante para muitas pessoas colher espinhos já que plantaram flores. Fazem a colheita da vida de tal forma, que: vêem  seus lucros sentimentais serem tão baixos, insignificantes. Simplesmente desistem de investir no sentimento humano e guardam seus mais preciosos tesouros onde ninguém jamais encontrará. Tornam-se pessoas que até parecem receber o sentimento alheio, mas nunca investem seus tesouros sentimentais em nada.



Um grande abraço a todos!
Grata por tudo sempre.